Dia do Trabalhador

Servidores, trabalhadores.
Neste dia 1 de maio comemoramos 50 anos de um “ATO” que resultou em muitos caminhos.
Neste momento qualquer discurso pode e vai parecer ser politico com afinidades e interesses, mas não o faço com estas razões.
Nossa realidade atual não é a mesma da França de 1968.
Passados 50 anos, ainda buscamos o devido respeito e valorização dos servidores de Nova Odessa, óbvio que vamos de encontro com interesses de um pequeno grupo, mas o principal conquistamos em parte,“CONSCIENTIZAÇÃO” dos trabalhadores, servidores públicos municipais.
Oportunistas devem ir as redes sociais, jornais, “JORNALECOS” para dizer tudo que os trabalhadores querem ouvir.
Buscando tão somente interesses políticos, a estes que não tem profissão declaro o meu total repúdio.
Sinto vergonha alheia aos que se intitulam SERVIDORES, mas simplesmente são politiqueiros oportunistas.
Se assemelham a vermes, parasitas, pois sobrevivem do suor dos verdadeiros trabalhadores.
Não precisamos de discursos neste momento, mas sim de atitudes contra larápios, vagabundos literalmente com a expressão literal da palavra como sendo vadios.
Precisamos de respeito, de condições, de vergonha na cara dos gestores que ao fazerem uma simples obra pública, se desmancham ao gozo de poder dizer que fizeram algo, porém, nada mais além da sua obrigação.
Acredito que vou ser criticado pela forma de me expressar, mas isto é a nossa realidade.
Relembrar o ano 1968 na França quando se começou esta mudança na história, história que esta geração a qual tenho certeza ser a mais sacrificada em termos de ROUBALHEIRA dos erários públicos no Brasil.
Através da mídia condenamos ladrões, homicidas, estupradores, drogados, viciados, carniceiros, mas as verdadeiras pestes deste país como corruptos e corruptores temos leis mais brandas e recursos infinitos.
Precisamos simplesmente de conscientização, e as demais situações virão com certeza e com a verdade.
A isto desejo do fundo de minha alma.
Aos verdadeiros trabalhadores, meus mais sinceros votos de carinho e respeito.
Um ato pode até ser confundido com filosofia de vida, mas nunca serão confundidos com os interesses de pessoas esclarecidas e conscientes.
Já tivemos muitos mártires neste país, agora precisamos de “HOMENS”, de atitudes.
Adriano José do Carmo Rosa.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *